Publicidade Cabeça

Nova-limense que mora na Flórida enfrentará furacão Irma





O Furacão Irma já deixou destruição e mortes por onde passou. Além das Bahamas, o estado americano de Porto Rico, Cuba, e várias ilhas na América Central, foram devastadas por um dos maiores furacões da história.

Por volta das 9 horas do Horário de Brasília o furacão atingiu o "Flórida Keys", um arquipélago que concentra pelo menos 1.700 ilhas. Os ventos sentidos chegam a 215Km/h e milhares de pessoas já evacuaram o local.


Já Miami que "escapou" dos maiores ventos, será atingida com rajadas de 160Km/h, o que fez o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos solicitar que pessoas fiquem longe de janelas que podem vir a ser arrancadas com os ventos.

O Irma tocou território americano em categoria 4, numa escala que vai até 5. Contudo, deverá atingir Ocala, cidade que está a mais de 179 Km de Orlando e 490 Km de Miami com apenas categoria 1, esperando ventos de 78 Km/h. 

E é lá que está Carlos Bruno Desidério, nova-limense que agora mora nos Estados Unidos. Ele falou com o Sempre Nova Lima e explicou que até chegar em sua cidade, é bem provável (mesmo) que o Irma perca força.

"Eu moro na região  Centro-norte da Florida, a previsão é de que até chegar aqui ele tenha perdido um pouco da força, o que não quer dizer que seus efeitos não serão destrutivos", disse ele que complementa: "Diferentes das ordens de evacuação imediata de outros condados para toda população, aqui em Marion County a recomendação é que fiquemos em casa, com sandbags preparados, atentos a postes e árvores", afirmou ele.

"Sandbags" vem do inglês "sacos de areia", na tradução literal, que são usados para evitar a entrada de água em casa já que as chuvas acabam causando inundações. 

Desiderio afirma que a "expectativa é grande" pela chegada do Irma e que a Guarda Nacional está à posta: "Existe uma expectativa muito grande. A guarda Nacional já está posicionada para auxiliar no que for necessário. Mas é estranha a sensação de vc saber que vai acontecer algo nessa proporção é vc ficar esperando."

Segundo o nova-limense, apesar do perigo e da "comoção", os floridianos levam a situação com humor: "Existe uma comoção grande, assim como aconteceu a pouco no Texas. Especificamente aqui na Flórida, as pessoas obviamente estão preocupadas, mas você vê, inclusive nas redes sociais, que os floridianos não perderam o bom humor, enfrentando essa situação tensa com inúmeros memes", contou ele.

Nenhum comentário

Sempre Nova Lima - 2016. Tecnologia do Blogger.