Publicidade Cabeça

Nova Lima está na lista de barragens de rejeitos sem garantia de estabilidade


Foto: Via Comercial - Barragem de Capão da Serra, em Nova Lima


A cidade de Nova Lima, na Grande BH, está na lista de 50 barragens que o governo declara que não pode dar garantias de estabilidade, disse uma matéria do Estado de Minas deste último domingo, dia 7 de janeiro. A barragem seria a de Capão da Serra. Além da cidade nova-limense, Rio Acima também vive um certo perigo com a barragem Mundo Mineração, hoje desativada. Esta tem capacidade de atingir até o Rio das Velhas, o que poderia causar sérios danos à qualidade de vida, sem falar à fauna. 

Depois da tragédia em Mariana, no final de 2015, um alerta foi emitido em todo o estado. Minas Gerais tem mais de 400 barragens e pelo menos 10% delas apresentam riscos. No ano passado Barragem de Casa de Pedra, em Congonhas, acabou apresentando infiltrações e precisou de intervenções urgentes. Não apenas: um sistema de evacuação de emergência foi implantado para mais de 4.800 pessoas que moram a 250 metros do complexo.



No caso de Nova Lima, os moradores que moram logo abaixo da barragem estão assustados com obras no local. O Ministério Público, através da promotora Andressa Lanchotti e entre outros, que formam a força-tarefa Rio Doce, monitoram os complexos mais abalados em estruturas físicas.

“Usamos o inventário da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), estudos técnicos do MP com indicadores de quais estruturas estão em risco, dados estatísticos de processos, inquéritos civis e chegamos ao número de 37 barragens. Mas não dá para falar com segurança que além dessas não tenhamos outras em situação de risco”, afirma a procuradora segundo o EM.

Moradores do condomínio Passárgada, também em Nova Lima, reclamam da falta de informação por parte das mineradoras. São pelo menos 50 casas que estão a poucos metros da barragem Capão da Serra, de 47 metros de altura, e que segura mais de 2 milhões de metros cúbicos de rejeitos. 

Recentemente, o Governo de Minas Gerais assumiu o comando da barragem em Rio Acima, a fim de evitar uma tragédia e que esta tragédia atinja o Rio das Velhas. O rio é o meio que a Copasa tem para bombear água para 3 milhões de pessoas na Grande BH.

Não apenas as barragens desativadas ou já construídas e ativas causam polêmicas. A Vale do Rio Doce também luta para conseguir construir a barragem Maravilha 3, em Itabirito, que poderia causar sérios danos ao Rio das Velhas caso venha a se romper. Além do rio, o rejeito também atingiria casas que ficam próximos à barragem. O MP conseguiu barrar a licença garantida pela gigante mineradora. (Leia Aqui)

Nenhum comentário

Sempre Nova Lima - 2016. Tecnologia do Blogger.