Publicidade Cabeça

Vitor luta contra o tempo para salvar seu mandato



Foto: Reprodução/Facebook




Assim que a primeira turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a data em que os embargos de declaração, recurso interposto pelo prefeito Vitor Penido (DEM) em Brasília, seriam julgados, o Chefe do Executivo municipal se mobilizou para tentar protelar o fim do processo.


(Informamos, num primeiro momento, que a segunda turma do STJ foi a responsável pelo julgamento dos embargos. Mas, consertamos a informação às 14h58, já que foi a primeira turma.)

Isso porque a condenação por improbidade administrativa nas três instâncias (TJMG em Nova Lima, TJMG em Minas e STJ em Brasília), que cassa seus direitos políticos por três anos, poderá retirar o experiente político da cadeira de prefeito.




O assunto é unânime entre os advogados. No entanto, a pergunta é: quando isso vai acontecer? A dúvida é valiosa, já que Penido é influente em Brasília, aonde já cumpriu mandatos de deputado e, com isso, poderá protelar o trânsito em julgado do processo. Quer dizer, sem a finalização do julgamento (trânsito em julgado), ele não sairá da cadeira.

A ideia da defesa é interpor mais um embargo de declaração, desta vez embargos dos embargos, se possível. Mas, os tribunais têm adotado o entendimento que este recurso é, apenas, medida protelatória. 

Outra possibilidade é interpor um Agravo em Recurso Extraordinário (ARE) para o Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o jurista José Tarcízio de Almeida, o recurso extraordinário é interposto quando o processo está "sob a alegação de contrariedade direta e frontal ao sistema normativo estabelecido na Constituição da República."

Como STF iria demorar a julgar a admissibilidade do recurso extraordinário, Vitor poderia conseguir uma liminar que o manteria no cargo até o fim desta análise do Supremo, já que mesmo com o ARE, a execução da pena, ou seja, seu afastamento, seria efetivada. Caso o agravo fosse admitido, o STJ seria obrigado a entrar no mérito do cometimento de improbidade por parte do prefeito ou não. Caso não, o processo é liquidado e o prefeito afastado completamente. 


Nenhum comentário

Sempre Nova Lima - 2016. Tecnologia do Blogger.